Ensaio de Compactação Mini-MCV

É, basicamente, um ensaio de compactação com várias energias, e o equipamento utilizado é o mesmo indicado na figura 3.1. A Compactação MCV (Moisture Condition Value), proposta em 1976 por Parsons, do Road Research Laboratory, utiliza cp de 100 mm de diâmetro; na Compactação Mini-MCV o diâmetro é de 50 mm. O processo consiste em aplicar ao corpo de prova, com um determinado teor de umidade, um número crescente de golpes até não haver acréscimo sensível em sua densidade. Durante o processo de compactação são realizadas medidas da altura do corpo de prova para determinação das MEAS. A cada teor de umidade de compactação (Hc), corresponde uma curva de deformabilidade; o coeficiente angular, dado pela inclinação de cada uma delas, é denominado coeficiente c’ e a obtenção do seu valor é apresentada no subitem 3.3.2.

Geralmente, ao longo de uma larga faixa de teores de umidade, o valor de c’ é pouco variável nas argilas e solos argilosos e bastante variável nos solos siltosos e arenosos. Devido a isto, para seu cálculo, foi necessária a fixação de uma curva Mini-MCV de referência.

Para fins classificatórios adotou-se a curva de deformabilidade correspondente ao Mini-MCV = 10, que, entretanto, raramente pode ser obtida na prática, a partir dos resultados de ensaios. Utiliza-se, então, uma curva traçada por interpolação gráfica, que fornece o valor de c’ com precisão suficiente para tal fim.

O coeficiente d’ é a inclinação, medida nas proximidades da MEASmáx, da parte retilínea do ramo seco da curva de compactação correspondente a 12 golpes no ensaio Mini-MCV; seu valor é obtido com a escala da MEASmáx em kg/m3 e a umidade em %, pela expressão:

Os coeficientes c’ e d’ são de grande utilidade prática na identificação dos solos tropicais e para o uso da Classificação Geotécnica MCT.

Esse procedimento permite obter uma família de curvas de compactação que é muito útil, tanto para a determinação da energia de compactação mais apropriada para finalidades específicas, quanto para o controle geotécnico da compactação no campo. Para melhores detalhes, vide parte inferior da figura 3.20 e o M5 no Anexo II do livro “Pavimentos Ecônomicos”.

Participe, faça um comentário

  • +Lidos
  • Últimos
  • +Comentados
  • Tags
  • Assine